Coming out is a political move that can tackle discrimination, says Brazilian diver Ian Matos

13 de julho de 2017 · Notícias UNIC Rio · Comente 
Brazilian diver Ian Matos will represent Brazil tomorrow at FINA's World Championships. Back in 2014, the athlete came out publicly as gay. In this video for UN Free & Equal campaign, Ian talks about the negative effects of sexism on the LGBTI community.

Brazilian diver Ian Matos will represent Brazil tomorrow at FINA’s World Championships. Back in 2014, the athlete came out publicly as gay. In this video for UN Free & Equal campaign, Ian talks about the negative effects of sexism on the LGBTI community.

‘Livres & Iguais’: Campanha conta com site em português e material para promoção de direitos humanos

30 de abril de 2014 · Eventos UNIC Rio · Comente 
Esquadrão das Drags com o simbolo da campanha. Foto Daniel de Castro/PNUD Brasil

Iniciativa do Sistema ONU no Brasil, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, faz parte das atividades para o Mês do Orgulho LGBT em São Paulo.

Daniela Mercury lança em São Paulo a campanha mundial da ONU ‘Livres & Iguais’

29 de abril de 2014 · Eventos UNIC Rio · Comente 
Daniela Mercury, sua esposa Malu Verçosa (à esquerda), o prefeito de São Paulo Fernando Haddad e a ativista Keila Simpson com o simbolo campanha Foto: Daniel de Castro/PNUD Brasil

Iniciativa busca promover a liberdade de escolhas e a igualdade de direitos para a população LGBT em todo o mundo.

ONU lança hoje no Brasil campanha pela igualdade e direitos de população LGBT

28 de abril de 2014 · Comunicados · Comente 
Campanha Livres & Iguais

A ONU, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, lança, hoje, 28 de abril, a campanha “Livres & Iguais”. Alarmada com a violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, a ONU busca promover a igualdade e o respeito aos direitos humanos de pessoas LGBT.

Proteção de toda a família humana (por Ban Ki-moon)

4 de janeiro de 2013 · Artigos e Mensagens · Comente 
Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon

“É um ultraje que mais de 76 países sigam criminalizando a homossexualidade. Líderes deveriam enfrentar e não ceder ao preconceito.” Leia artigo do Secretário-Geral da ONU.

Mais matérias »